30 de ago de 2012

Naquele dia


E foi no dia mais importante para ela,
Que ela transformou o dia em dia.
E como se ainda não soubesse o bastante,
Conseguiu sair pela tangente e deixar tudo de lado.

Sem saber por que andava tão somente
Na decidida luz do aclamado dia,
Saiu e caiu no paralelo do poente –
Um passo adiante e outro inacabado.

Sem saber se nesse dia o importante
Era o segredo do futuro ou o medo do passado,
Saiu do quarto, atravessou a sala e a cozinha,
E caiu no claro do sol ensanguentado.

E nesse dia importante,
Sem medo e sem saber o que fazia,
Falou e fez o que ninguém jamais a consentia
E pensou: mais um sonho realizado...

Viena, agosto de 2012